Minha lista de blogs

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Bordeaux é a nova Paris

Visitar Bordeaux era um plano de tempos. Acabou acontecendo no verão europeu desse ano.
Sabia da sua importância pelos maravilhosos vinhos que produzem. 
Não podia imaginar a tamanha beleza da cidade! Uma grande e grata surpresa.
Bordeaux, classificada como patrimônio da Unesco em 2007, é realmente muito linda!
E, muito iluminada.


   Bordeaux é a capital e a maior cidade do departamento da Gironda e da região Nova-Aquitânia, no sudoeste da França. É um porto na margem sul do rio Garona. Tem cerca de 236 mil habitantes.


Nessas duas imagens, feitas no centro de Bordeaux, o espelho-d´água reflete prédios, bondes elétricos e luzes. Muitas luzes!  Estar nessa atmosfera torna-se inesquecível o que visualiza-se na Place de la Bourse, especialmente durante a noite.


                                       A fonte Place de la Bourse é um ícone do centro da cidade.


                    Na mesma praça do espelho mágico ( Le Miroir d´eau), onde a água reflete a alegria e a liberdade de quem passa por ali, o clima diurno é completamente diferente. Porém, não menos lindo! É muito tentador tirar os sapatos e passear livremente por esse espelho, tão transparente!


A chuva miúda não atrapalha, em nada, a visitação. Pelo contrário...possibilita fazer registros com outros adornos. E, a paisagem continua encantando!



Monumento dos Girondinos está localizado na Place des Quinconces e foi erguido em memória dos girondinos. É composto por uma escultura em bronze e duas grandes fontes aos seus pés. Os Girondinos eram um grupo político da época da Revolução Francesa e o objetivo desse monumento é prestar homenagem aos políticos que foram perseguidos e executados durante a época do Reino do Terror. 


Quando você ouve a palavra "Bordeaux",  pensa...VINHO! Mas, ela é bem mais do que uma região rica na produção de vinhos. A arquitetura e gastronomia vão surpreender a todos que a visitarem.

A cidade foi restaurada com muito capricho e conta com um sistema de transporte público ultramoderno. Costumam dizer que após muitos anos de trabalho pesado, a "Bela Adormecida" despertou de seu sono...concordo!

São tantas as atrações dessa bela cidade, que fica o convite para que você programe boas vivências por lá. Aqui, mostramos apenas uma pequena parte do todo que é Bordeaux. Quando passamos por ela e vivenciamos seus encantos por alguns dias, entendemos o que os jornalistas e críticos estão dizendo:
                                                                           Bordeaux é a nova Paris!
                                                                                                           Voilà!

domingo, 30 de julho de 2017

A nossa Paris

                 
                                       " Caminhar em Paris é andar em direção a si mesmo" 
                                                                                            Júlio Cortázar









A nossa Paris é assim: sucre! 
Outras vezes é saudade! 
Mas, quase sempre é encontro com o nosso melhor.



                          " A saudade é a nossa alma dizendo para onde ela quer voltar".
                                                                                                         Rubem Alves

" Não havíamos marcado hora, não havíamos marcado lugar. E, na infinita possibilidade de lugares, na infinita possibilidade de tempos, nossos tempos e nossos lugares coincidiram.
 E deu-se o encontro".                                                                        Rubem Alves


E, a sua Paris, como é?
Voilà





sexta-feira, 28 de julho de 2017

Versailles, muito além do palácio

Já havia ido a Versailles com o objetivo comum como todos os que visitam o magnífíco palácio, o castelo real. De fato essa é uma visita obrigatória para quem desembarca em Paris. Símbolo da riqueza, do poder absoluto e de todos os excessos da corte francesa, o castelo impressiona em todos os sentidos.

Dessa vez, desembarquei diretamente na acolhedora casa de minha amiga Martina, brasileira de origem, francesa há 30 anos e que vive em Versailles por opção. A constatação da beleza, do sossego e do charme dessa pequena cidade fez com que eu quisesse ficar por ali, como residente. Os meus olhos admiraram os encantos desse lugar, muito além do palácio.



A natureza em todas as tonalidades colore o dia. Um gostoso café da manhã com croissant e em seguida o roteiro marcava um passeio de bicicleta pelas ruas de Versailles, em direção ao parque do castelo.


           De longe, avista-se o que as fotos revelam...o explendor de um lugar único.
           O pensamento vai longe com tantas possibilidades de imaginação.
           E, a gente se transporta a um tempo passado.


" As bacias de Versailles estão presentes em todo lado. São elas, com suas estátuas e suas fontes que precisam dos maiores trabalhos para levar a água até Versailles. André Le Nôtre, não parava de construir bacias cada vez mais belas e cada vez mais impressionantes para o rei Sol: a bacia de Latone, de Apolo e de Neptuno..." ( Bene Vale)









                                                  Diante dessa grandiosidade rendemo-nos simplesmente a contemplar.


Caminhos, labirintos, sombra, ar fresco e os pedais iam marchando com suavidade para apreciar tudo.                                           E, respirar profundamente.
                                          Inspirar...expirar...inspirar...expirar.
 Num movimento de ir e vir aproveitando o poder do agora.
                                          Porque o agora muda a todo instante.


Ao se aproximar do essencial da caminhada nosso foco encontra belezas antes nunca percebidas. Para isso basta parar um pouquinho, deixar de lado pesos e medidas e simplesmente viver o que a vida nos oferece.



Pedalando nesse cenário ficou evidente que há muitas outras belezas em Versailles, além do palácio.
A grandiosidade do castelo contrastado com a simplicidade dos bosques revelam em si as múltiplas facetas de tudo nessa vida. O belo pode estar em todo lugar e em toda situação. Se para os reis e rainhas privilégio era morar no suntuoso palácio, rodeados por serviçais e luxo, para mim, o grande privilégio foi estar com amiga de tantos anos, pedalando pelas ruelas de barro do bosque contemplando a singeleza de cada variação de verdes e azuis.
                                                          Merci, ma copine Martina.
                                                                              Voilà

domingo, 16 de julho de 2017

Nas costas, minhas escolhas

É bem provável que você já ouviu falar nessa expressão: "carregar o mundo nas costas". E, os significados podem ir além do conteúdo subjetivo da  frase. Porque carregar oportuniza escolher  entre o peso e a leveza; o antigo e o novo.
 O que você está carregando nas costas?
Já pensou sobre isso?



Passeando pelas ruas de Montparnasse ressalta aos olhos uma peça linda toda em couro, estilosa, monocromática e elegante. Aquela para ser carregada nas costas. Estava ali na vitrine pedindo para ser levada. E, sem muito esforço a compra foi efetuada.




- Linda, não é ?
- Ela é muito diferente!
-Gosto de coisas bonitas! 
 
 
Mas...preciso dela? Talvez, não! Claro que precisar de uma mochila nova, não  precisaria! 
Mas, o desejo da aquisição do novo é maior do que a necessidade. Não demora muito vem um consentimento interno que com o " eu mereço " resolveu rapidamente qualquer dúvida , caso ainda existisse. 
Feliz com a nova pequena mala, para ser carregada nas costas, a caminhada continua pelas
 ruas de Paris.



Essa vivência me fez refletir sobre as escolhas que fazemos. Pela vida afora vamos juntando coisas, sentimentos e emoções. E, ao longo do tempo também vão ficando velhas, desgastadas, ultrapassadas ou pesadas. Ou, simplesmente se faz necessário vivenciar novas experiências, abraçar novos sentimentos ou sentir o novo bater em nosso peito, pois afinal já não somos mais os mesmos de tempos atrás. O que fez sentido lá, pode não mais fazer sentido aqui e agora. O mais importante nisso tudo é ter a clareza e a oportunidade de escolher sempre. Experimentar  e optar pelo hábito do desapego pode fazer muita diferença em nossa vida.
É verdade que isso virou moda. Desapegar-se é politicamente correto nos dias de hoje. Mas, venha cá...desapegar-se de sentimentos, sonhos e emoções cravados no coração,
 ahhhh! isso não é tão fácil assim!
Com o tempo vamos aprendendo a ser mais seletivos com nossas escolhas. Já fica bem mais fácil deixar para atrás o que não nos serve, o que não combina com nossos objetivos de vida e com sonhos a serem realizados.

Então, vamos ao bom senso: malas velhas, sem alças e sem rodinhas...descarte, já !
 Tudo o que passou e nada de bom ficou não vale guardar...Fica apenas a experiência e a aprendizagem.
Precisamos de malas novas, modernas e leves para acomodar o que ficou de bom das escolhas passadas e ir colocando momentos novos que nos enriquecem, nos aquecem, nos fazem sentir vivos e mais felizes.


Ah! Eu insisti para comprares uma mala nova?! 
Seguramente irás precisar dela para colocar novas e lindas escolhas!
 
 
 
 
" Sou apego pelo que vale a pena e
desapego pelo que não quer valer".
-Clarice Lispector-
 
 






sábado, 27 de maio de 2017

O pão nosso de cada dia


Dai-nos hoje e sempre!


" É estimado que o pão tenha surgido há 12 mil anos, na Mesopotâmia, juntamente com o cultivo do trigo. Era feito de farinha misturada com o fruto do carvalho. Os primeiros pães eram achatados, duros, secos e muito amargos." (wikipedia)


" Atualmente, o pão é o alimento mais popular do mundo, sendo produzido em quase todas as sociedades. Entretanto, ele não foi feito sempre da mesma forma e nem teve sempre o mesmo aspecto. Ao longo do tempo, sua produção foi se alterando até chegar ao que nós temos nos dias de hoje." (Tales Pinto).


Mesmo sabendo, através da história, que o pão chegou a ser um dos motivos de eclosão da Revolução Francesa e que a severa queda na produção do cereal tornou o alimento caro e escasso, fato que levou a população francesa a se revoltar e contribuir fortemente para a queda do rei Luís XVI, ouso atualizar o tempo e apresentar para vocês essa eclosão de aroma e sabor, bem ali...em Rio dos Cedros, na Região dos Lagos, em nossa Santa e bela Catarina.


O método rústico traz em si a personalidade em seu tempo, da tradição, do natural tal qual na época de nossos avós. Talvez muitos de vocês remeterão seus pensamentos para a ida até a casa da família que morava no " interior". O forno a lenha, muitas vezes construído de forma improvisada no rancho que ficava atrás ou ao lado, da casa principal. Gosto de olhar os detalhes dessa foto, feita por mim, porque a singeleza me emociona. E, as lembranças chegam. Remetem-me aos tempos em que minha mãe fazia pães, num forno muito parecido com esse. E, deixava-nos fazer pequenos pãezinhos em forminhas, que eram tampas de latas...e querem saber? aquilo era a maior das alegrias que ela poderia nos dar!


" A poesia é sempre um ato de paz. O poeta nasce da paz como o pão nasce da farinha."
(Pablo Neruda)
 
Acordar cedo para amassar o pão, vê-lo crescer e transformá-lo no poder de saciar a fome e provocar prazer é um ato de paz cheio de poesia. Os encantos da vida estão nas pequenas coisas.
São poetas aqueles que fazem o pão nosso de cada dia!
 

 
Olhem bem para essa beleza!
Fechem os olhos e sintam o cheirinho do pão fresco saído do forno.
Isso é poético!
Dos deuses!
 

                                   " No caso de todos os outros sentidos, pensamos antes de reagir,
                     mas no caso do olfato, o cérebro reage antes de pensarmos." ( Lindstrom)



Como ficar na cama até muito tarde, quando lá fora esse visual está todinho pronto para o dia começar?! Todos os finais de semana o convite é feito e ele aceita: acorda cedinho, abre as janelas da casa, molha as plantas e começa a preparar o café da manhã. Sim! Isso é com ele. Estou falando de Ricardo.  Prepara tudo, da arrumação da mesa `a salada de fruta, que não sei como consegue, mas é uma obra de arte a forma como pica todas as frutas...do mesmo tamanho! Diz que é a terapia dele. Acredito!

Naquela manhã, resolvi acompanhá-lo. Acordei cedinho, levantei e dei uma de assistente do preparador oficial do café da manhã. Pouca coisa para fazer porque já estava tudo pronto.
Próxima missão: comprar pão! " Vou te levar na fonte", disse ele.

O visual que nos acompanhou até a " padaria" era esse acima. E, no caminho foi me contando peculiaridades da região e dos alimentos frescos que consomem a cada final de semana, quando sobem a serra.

"E, aí está a fonte! Chegamos!"
Nem precisava me dizer...o cheirinho inconfundível já tinha tomado conta de mim!


Dedico essa postagem, cheia de aromas e lembranças, aos meus primos,
Ricardo e Cianne. por tão linda acolhida naquele final de semana e por tantas vivências
 que tocaram o essencial do meu coração.
 
Sim! Ele faz o café da manhã e busca o pão na fonte todos os finais de semana!
Au revoir!


 

sexta-feira, 19 de maio de 2017

O improvável acontece


Fazer uma caminhada pelas areias da praia, com um céu azul,  é mesmo grande privilégio. Reconheço. Além de fazer bem para o corpo, a alma também agradece.

Essa rotina matinal é o encontro mais lindo e simples com o eu interior, que vai conversando com a gente, a cada passo, num diálogo de fazer inveja a jornalistas entrevistadores daquela emissora do  plim plim.

Dessa vez, levei uma carteirinha com dinheiro e cartão de crédito para aproveitar e depois passar no supermercado. Coisa que dificilmente faço. Gosto de sair sem lenço e sem documento...

Caminhei uns 2 km para lá e 2km para retornar ao ponto de partida. Os pensamentos foram tão longe que a carteira caiu de minha mão e nem percebi. O susto foi grande quando...cadê?Perdi pelo caminho onde centenas de pessoas também estavam passando.
 Num ímpeto desesperado voltei pela praia com os olhos fixos na areia com a crença de que iria recuperá-la. Ledo engano. Nada!

Fui perguntando...parando nos quiosques...nada!
Claro! Como encontrar o improvável? Uma pequena carteira com dinheiro, cartão de crédito...

Voltando um tanto desolada e já aceitando a realidade: cancelar cartão e da próxima vez cuidar mais.
Porém, ainda tinha um sentimento dentro de mim que poderia encontrá-la largada em algum canto. E, mais...veio a pergunta que não silenciava: para que isso aconteceu? O que essa perda tentava me mostrar? Se procuro ser  honesta, com princípios tão bons deixados por meus pais e praticados através de minhas vivências, ajudando sempre que possível,  aqueles que precisam de mim!

E, larguei no universo: " paciência, acredito que como sou do bem...também existem pessoas do bem que poderão me devolver o que perdi...mesmo sendo improvável.

Continuei caminhando em direção a minha casa. E, não sei como meus olhos foram atraídos para as mãos de uma pessoa. Uauuuu... lá estava ela: a minha carteirinha. Foi quando disse: oi, você achou minha carteirinha? E, ela num sorriso todo feliz me entrega dizendo que já havia deixado mensagem e número de telefone para que eu entrasse em contato.



Foi nessa hora que me arrepiei ( de verdade) e disse: " ainda tem muita gente boa nesse mundo". Pessoas honestas e cuidadosas com o próximo querendo para ele o que deseja para si. Em dias tão conturbados, por tanta falta de honestidade e desrespeito ao que é do alheio,  esse episódio foi como um bálsamo para reforçar a beleza de seres humanos com princípios e valores sintonizados com o bem. Eles existem, sim!

Leonita Prestes Tarosso,  um lindo ser humano, exemplo para muitos. Obrigada por seu gesto e pela frase que deixou no meu celular, como mensagem: " Só fiz o que todos deveriam fazer".


          " Do jeito que o mundo anda, ser honesto é ( igual) a ser escolhido entre dez mil"
                                                                                                William Shakespeare

                                                   O improvável acontece, sim!

                             



 

sábado, 13 de maio de 2017

Açúcar que vale ouro


Brilhantes são os olhos de uma mãe quando fala em seus filhos. É como uma fábrica de doçuras comandada pelo padeiro mais experiente e competente. Ou, pelo mais amador de todos que vai tentando acertar o ponto da massa do bolo para encantar paladares. A confeitaria é inaugurada ao receber o alvará positivo, que abre a porta do coração. Logo em seguida começam os preparativos para que a Padaria Brilhante produza o melhor de todos os doces: seu filho. Mês a mês cada ingrediente é escolhido para o acerto final. Do primeiro ao nono mês sempre uma olhadinha cuidadosa porque o resultado deverá ser perfeito. Se, por acaso algo não ficar no ponto...sem problemas...porque para o olhar de uma doce padeira, o final ( que será o grande começo) será sempre o mais perfeito, o mais lindo e o mais amado.


Filhos são como lindos bolos, cheios de doçuras que colorem o  mundo feitos arco-íris.



Os filhos serão sempre como soldadinhos de chumbo, corajosos e competentes que poderão explorar o mundo. E, a mãe orgulhosa diz: " esse(a) é o meu garoto (a)"!


Para uma mãe os filhos não crescem e serão suas eternas crianças...porque ela quer se fazer necessária pela vida afora.



                                                       Eles serão as cerejas do bolo...


         Não importa se estão lá, acolá ou aqui...estarão sempre bem perto porque o lugar deles é  dentro do coração dela, eternamente! " E a doçura é tanta que faz insuportável cócega na alma..."
                                                                  Clarice Lispector



                               Filhos valem ouro. Fazem a gente se render por querer, sem reclamações. Porque a doçura deles vicia, com aquele sabor de quero mais...sempre mais. É aquele açúcar orgânico da melhor qualidade...quase um mel puro. Açúcar que vale ouro.


                              Filhos...
                              " Fizeste-me ver a claridade do mundo e a possibilidade da alegria.
                                 Tornaste-me indestrutível, porque, graças a ti, não termino em mim mesmo."
                                                                                                  Pablo Neruda



Fotos feitas por mim-Dubai (2016)
www.brilliantbakery.com