Minha lista de blogs

domingo, 16 de julho de 2017

Nas costas, minhas escolhas

É bem provável que você já ouviu falar nessa expressão: "carregar o mundo nas costas". E, os significados podem ir além do conteúdo subjetivo da  frase. Porque carregar oportuniza escolher  entre o peso e a leveza; o antigo e o novo.
 O que você está carregando nas costas?
Já pensou sobre isso?



Passeando pelas ruas de Montparnasse ressalta aos olhos uma peça linda toda em couro, estilosa, monocromática e elegante. Aquela para ser carregada nas costas. Estava ali na vitrine pedindo para ser levada. E, sem muito esforço a compra foi efetuada.




- Linda, não é ?
- Ela é muito diferente!
-Gosto de coisas bonitas! 
 
 
Mas...preciso dela? Talvez, não! Claro que precisar de uma mochila nova, não  precisaria! 
Mas, o desejo da aquisição do novo é maior do que a necessidade. Não demora muito vem um consentimento interno que com o " eu mereço " resolveu rapidamente qualquer dúvida , caso ainda existisse. 
Feliz com a nova pequena mala, para ser carregada nas costas, a caminhada continua pelas
 ruas de Paris.



Essa vivência me fez refletir sobre as escolhas que fazemos. Pela vida afora vamos juntando coisas, sentimentos e emoções. E, ao longo do tempo também vão ficando velhas, desgastadas, ultrapassadas ou pesadas. Ou, simplesmente se faz necessário vivenciar novas experiências, abraçar novos sentimentos ou sentir o novo bater em nosso peito, pois afinal já não somos mais os mesmos de tempos atrás. O que fez sentido lá, pode não mais fazer sentido aqui e agora. O mais importante nisso tudo é ter a clareza e a oportunidade de escolher sempre. Experimentar  e optar pelo hábito do desapego pode fazer muita diferença em nossa vida.
É verdade que isso virou moda. Desapegar-se é politicamente correto nos dias de hoje. Mas, venha cá...desapegar-se de sentimentos, sonhos e emoções cravados no coração,
 ahhhh! isso não é tão fácil assim!
Com o tempo vamos aprendendo a ser mais seletivos com nossas escolhas. Já fica bem mais fácil deixar para atrás o que não nos serve, o que não combina com nossos objetivos de vida e com sonhos a serem realizados.

Então, vamos ao bom senso: malas velhas, sem alças e sem rodinhas...descarte, já !
 Tudo o que passou e nada de bom ficou não vale guardar...Fica apenas a experiência e a aprendizagem.
Precisamos de malas novas, modernas e leves para acomodar o que ficou de bom das escolhas passadas e ir colocando momentos novos que nos enriquecem, nos aquecem, nos fazem sentir vivos e mais felizes.


Ah! Eu insisti para comprares uma mala nova?! 
Seguramente irás precisar dela para colocar novas e lindas escolhas!
 
 
 
 
" Sou apego pelo que vale a pena e
desapego pelo que não quer valer".
-Clarice Lispector-