Minha lista de blogs

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Frida Kahlo-Conexões entre mulheres surrealistas no México

Mulher de fibra, mexicana, revolucionária, grande questionadora e muitas cores em seu mundo inconsciente. Essa foi a leitura que pode ser feita ao visitar as obras originais incríveis de Frida Kahlo ( e outras mulheres) que estão expostas no Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo.



A exposição ( 27 set-10 jan.2016) está maravilhosa.
É capaz de nos transpor no tempo com tantos detalhes.



O tema central é a Mulher. Sob o olhar individual das artistas, o acervo vai se revelando nas interpretações. O simbólico, característica principal do surrealismo, faz com que o tempo fique curto ao tentar decifrar os códigos de cada obra.



 Freud, pai da psicanálise, foi o grande mentor e inspirador dessa coleção de arte, podendo-se dizer que de forma indireta. Através do inconsciente coletivo, teoria de Sigmund Freud,  foram surgindo artistas e obras fantásticas na época do surrealismo e que causaram muito desconforto aos mais tradicionais.


 
Magdalena Carmen Frieda Kahlo y Calderón ( Frida Kahlo) nasceu em 1907 na cidade do México. Com seis anos, Frida contraiu poliomielite, a primeira de uma série de doenças, acidentes, lesões e operações que sofreu ao longo da vida. A poliomielite deixou uma lesão no seu pé direito, pelo que ganhou o apelido de Frida pata de palo ( ou seja Frida perna de pau). Passou a usar calças, depois longas e exóticas saias, que se tornaram uma de suas marcas pessoais. Em 1928, entrou no Partido comunista mexicano e conheceu o muralista ( um dos mais famosos pintores mexicanos)
 Diego Rivera, com quem se casa no ano seguinte. ( Enciclopédia livre)
 


" Existem momentos na vida da gente, em que as palavras perdem o sentido ou parecem inúteis, e, por mais que a gente pense numa forma de emprega-las elas parecem não servir. Então a gente não diz, apenas sente." - Sigmund Freud


                                                                                Até mais!

11 comentários:

  1. Belas exposições. Tanto da arte quanto do teu relato. Muito bom. Bjos

    ResponderExcluir
  2. Parabéns pelo post! Como sempre consegue fazer, nos levou junto para uma exposição imperdível. Para quem está distante de São Paulo fica inviável e vc tornou tudo possível.
    Adorei estar lá com vc. Obrigada.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, por compartilhar a sua leitura, das obras de Frida Kahlo, em São Paulo.
    Aprendemos muito com seus relatos, obrigada, abraços carinhosos
    Maria Teresa

    ResponderExcluir
  4. Belíssima postagem Marilde! sempre tive curiosidade na história dela e estou saindo daqui com muitas informações interessantes...bela postagem e as imagens estão lindas! um beijo grande e bom feriadão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada e beijos pra ti também, querida Cláudia!

      Excluir
  5. Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
    reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
    Sou António Batalha.
    Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
    PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
    http://peregrinoeservoantoniobatalha.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Antônio. Venha sempre aqui. Logo espiarei o teu blog...deve ser muito interessante. Abraços

      Excluir