Minha lista de blogs

terça-feira, 22 de julho de 2014

O encontro com o Jardineiro do Rei. Série Paris

                                                        Foi um encontro inesperado.
                                   Não teve saída...precisamos ficar juntos por quatro horas!

Jeanne era uma jovem iniciante como guia para turistas às visitas no castelo de Versailles. Era insegura, pois novata no seu trabalho... e precisava de muito conhecimento da história do Castelo para falar às pessoas. Ela era uma legítima Versaillaise (de nascimento). Orgulhava-se disso. Aos poucos foi pegando o jeito com os grupos de turistas e até conseguia fazer rir ( alguns deles) com suas piadas a moda francesa. Conheceu o homem que cuidava dos relógios do Palácio e trocavam grandes conversas sobre os detalhes de cada ponteiro e como precisavam de regulagem diária para funcionar bem.

Um dia, olhando pelas grandes janelas de vidro do palácio, viu um grupo de pessoas chegando. Elas usavam uniformes de jardinagem e carregavam plantas, vasos e outros materiais para trabalhar no jardim. Um jovem chamou a sua atenção. Era Dylan. Discretamente se aproximou e após um tempo breve de conversa descobriu que ele também era novato no trabalho. E, mais. Descobriu que ele trabalhava ali durante o dia e ia dormir na 28, avenue de Paris. Jeanne sabia que esse endereço era o da prisão. Uma casa destinada para mulheres, mas que também acolhia homens que estavam em regime semi-aberto. 

Dylan fez um convite para a jovem guia: 
" se você aceitar um copo de vinho comigo, algum dia desse ,será um prazer" ....



                                                         Segunda-feira decidi que seria um dia de descanso.
                                     Minhas pernas agradeceriam, pois as andanças foram tantas...todos os dias.
Pensei: mais tarde vou descer para um cafezinho, na boulangerie da esquina e apreciar o povo passar.
Antes, porém...mexendo aqui e acolá acesso o Skype e começo conversar com Gustavo (meu filho) através da câmera. Fiquei tão feliz, mas tão feliz! Começo então a apresentar o lugar onde estou hospedada...a varandinha, a cozinha, a sala/quarto, o chuveiro e pia ...opa! Um detalhe: o banheiro propriamente dito fica lá fora...no corredor. Coisas de prédios antigos, por aqui.

Cheia de emoção...a cabeça não pensa. Abri a porta e saí corredor afora com a câmera em mãos para mostrar o caminho até  à toillete. Foi quando escutei: trooookkkkkk. Meus Deus, a porta se fechou!!!!

Voltei correndo. Tarde demais. Estava eu trancada pelo lado de fora, sem as chaves, vestida de camisola ( ainda bem que não era muito sexy rsrsr) e descalço. Ainda tentei forçar um pouco aquela portinhaaaaa...em vão!



No primeiro momento...uiiiiii...que droga! Depois pensei...não tenho o que fazer! Preciso esperar pela Sophie. O dilema era que não sabia se ela voltaria para casa ou se iria direto dormir na casa do seu namorado.
                                    Sorte...IPAD comigo. Azar...sem conexão!
Sentei na escadaria e fui tentando. Também busquei todas as revistas e livros que estavam no toilette . 
De repente deu certo...internet funcionando! Primeiro de tudo: enviar msg no facebbok para ela e rezar que ela veja! ( Ela viu)... Segundo: avisar Gustavo do corte brusco de nossa filmagem emocionada. E, ele, com seu costumeiro bom humor, depois de 1 hora que eu estava ali,  disse: - é rapidão, mãe...mais 3 parcelas de 1 hora ou 6 de meia hora...tempo é dinheiro rsrsrsrsr. 
Terceiro: esperar pacientemente quatro horas no total, ali, sentada...admirando a escada!
                                                  Bem, eu queria descansar, não é?


                                                            E, o Jardineiro do Rei?
Ficou comigo o tempo todo! Grande amigo! " Me salvou" e ainda elevou minha autoestima: nem sabia que era capaz de ler um romance água com açúcar escrito em francês! Voilá.



                Daqui pra frente esse será o mais sofisticado dos colares que passarei a usar no pescoço!
                                                       HERMÈS que me desculpe!

                                                                                                             À bientôt
               
                         
               
       


10 comentários:

  1. Respostas
    1. Tens grande participação nessa história! Beijos, filhote!

      Excluir
  2. "Coisas de Marildinha" .... rsssss Ainda bem que sempre consegues sair das situações com equilíbrio e grande dose de paciência, te admiro mana!!! Só em ler a tua postagem, pensa na aflição... E eu pensando que o jardineiro do Rei seria quem iria te salvar???!!! rssssss Bjsssss e fica bem !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. rsrsrrsrs...sim, foi ele quem me salvou de verdade! rsrsrrs Bjs

      Excluir
  3. Estou aqui lendo voce e me vendo..n me desespero por nada,tento me acalmar e logo tem uma solução.Quando vou a Paris me perco várias vezes o marido enlouquece...lindo dia querida,beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se a calma não nos acompanhar...estaremos perdidas!!!!!! Bjs querida e obrigada.

      Excluir
  4. Kkkkk adorei! Imagine se isso tivesse acontecido com tua amiga rsrsrsrrs....adorei bjs

    ResponderExcluir
  5. Jardineiro, jardinagem... Um dom. No meu histórico familiar se conta que um descendente foi jardineiro no Palácio de Versalhes. Em tempos de floragens deve ser maravilhoso. No inverno, plantas e flores hibernam. Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É mesmo? Ulalá! Vai ver que era o Jardineiro da história! rsrsrsrrsrs bjs

      Excluir